Início / Últimas Notícias / Ministro da Justiça solicita informações da PF sobre manifestações em São Paulo e no Rio de Janeiro

Ministro da Justiça solicita informações da PF sobre manifestações em São Paulo e no Rio de Janeiro

O ministro da Justiça, José Eduardo Cardozo, disse hoje (12), em Brasília, que pedirá à Polícia Federal informações sobre as manifestações violentas que têm ocorrido em São Paulo e no Rio de Janeiro após o aumento das passagens do transporte público nas duas capitais. Em nota, o Ministério da Justiça informou, no entanto, que “não houve nenhuma determinação para abertura de inquérito policial pela Polícia Federal”. De acordo com o órgão, os atos de violência são, até então, de competência exclusiva das polícias estaduais.


Em visita a Paris para apresentação da candidatura de São Paulo à Expo Mundial 2020, o governador Geraldo Alckmin condenou a forma como a população tem se manifestado. “Isso extrapola o direito de expressão, isso é absoluta violência, vandalismo, baderna e é inaceitável.[A PM] agiu com profissionalismo. Houve, inclusive, policiais feridos pela violência do movimento”.


As manifestações têm ocorrido desde a semana passada em São Paulo. O Movimento Passe Livre,  organizador do protesto, informou, por meio de nota, que pediu uma audiência com o prefeito Fernando Haddad para negociar a reversão do reajuste de R$ 3 para R$ 3,20 na tarifa do transporte público, que entrou em vigor na semana passada. Foram detidas 17 pessoas e 85 ônibus foram avariados.


No Rio de Janeiro, a tarifa subiu de R$ 2,75 para R$ 2,95. Pontos de ônibus foram parcialmente destruídos na última segunda-feira (10). Pelo menos 34 pessoas foram detidas e levadas para a 5ª Delegacia de Polícia, no centro da cidade.


Agência Brasil

Leia também.

Ministro ameaça fechar hotéis que cobrarem preços abusivos durante Copa das Confederações

O ministro do Esporte, Aldo Rebelo, anunciou hoje (13) “tolerância zero” para abusos de preços …

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *